André Prando conta o que está por vir em “Voador”

Compartilhe o MB!

O cantor André Prando faz um rock autoral com bastante personalidade. Em seu primeiro álbum, o elogiado Estranho Sutil (2015), o artista se destacou trazendo composições irônicas e sagazes acompanhadas por sua voz marcante. Em 2018, se prepara para lançar seu segundo álbum, Voador, que contou com uma campanha de financiamento coletivo. Adiantado pelo single Ode à Nudez, o trabalho que foi produzido por Jr. Tostoi e Henrique Paoli, traz um amadurecimento na sonoridade do cantor, evidenciando a música psicodélica e carregado também por fortes composições. O MultimodoBR conversou com o André Prando que adiantou alguns detalhes de seu segundo disco.

1. Estranho Sutil, foi muito elogiado pela crítica, e esteve presente em várias listas como um dos melhores álbuns de 2015. Com isso, houve alguma pressão no processo criativo do novo disco?

Nenhuma forma de pressão, nem no processo de composição, nem no processo de produção. Prezo muito pelo clima leve em tudo que participo. Mas sempre me preocupo em fazer uma obra coesa, verdadeira e com continuidade, sendo assim não há o que temer, né? Vivo em paz com a ideia de tacar o louco e mudar tudo em qualquer curva do futuro também. Mas tudo isso na leveza.

Leia Também:  5 perguntas para: Pitaias

2. Como tem sido a experiência de estar circulando com o show saindo do circuito das cidades que você já conhecia? Além disso, que novos horizontes e frutos o Estranho Sutil lhe proporcionou?

A maior sede é de poder sair da sede, falo disso em uma das músicas do Voador. Apesar de não fazer tanto show fora quanto gostaríamos, toda vez que tocamos fora é emocionante, não houve nenhum lugar por onde passamos que não tinha um grupinho antenado e ansioso pelo show. Fico feliz de ver que nosso público é um público carinhoso. O Estranho Sutil foi meu primeiro álbum completo. Então posso dizer que tudo em minha curta carreira, até então, é fruto desse trabalho. Muitas conexões com outras cidades, artistas, produtores, amizades. Muito aprendizado e combustível de vida.

3. O álbum contou com o apoio de financiamento coletivo. Pra você, qual a importância destes recursos para a viabilização de projetos independentes?

Toda importância! Fazer um financiamento coletivo demanda uma doação muito grande, antes de mais nada, de você mesmo. É um projeto que exige muita dedicação e não conheço nada mais independente do que essa ferramenta.

Leia Também:  3 Perguntas para: TETO PRETO

4. O que você pode adiantar sobre as composições do Voador? Elas falam basicamente de que?

O pilar é rock experimental, permeando canções-pop-psicodélicas em letras reflexivas e discussões existenciais que refletem seu tempo, seus antepassados e utopias.‘Voador’ é como a visão de alguém que paira, observa a si e a seu redor, observando, absorvendo e abduzindo.

5. Conte um pouco sobre o processo de gravação do disco. Como foi trabalhar com Henrique Paoli e Jr Tostoi?

Paoli é meu parceirão de alguns anos. “Meu amigo, meu cumpadi, meu irmão” – como canta Zé Geraldo – e de fato é os 3. Nós já temos um flow de trabalho e entendimento muito único. Fizemos juntos a primeira parte de arranjo e pre-produção em Vitória e apresentamos as músicas já bem definidas para o Tostoi, que muito respeitosamente mostrou muito entusiasmo com o que recebeu. Fizemos – no total, mas não seguidas – umas 4 semanas de imersão no Lab Tostoi, estúdio do Tostoi no RJ e foi um processo muito rico de sinceras trocas, aprendizados, respeito, experimentação, mais experimentação e good vibes. A música fluiu com muita leveza.

6. Em uma frase, como você definiria o disco? O que a gente pode dizer para as pessoas esperarem antes de ouvir o trabalho?

Voador é meu trabalho mais plural e maduro, o vôo é mais alto, exploratório, experimental vamos ver mais coisas externalizadas lá de cima do que, antes, internalizadas cá de baixo. Admirável mundo novo.

Leia Também:  MB Entrevista: Contando Bicicletas

7. Como será a divulgação do trabalho após o lançamento? Já tem apresentações em mente

Muitos shows! Fizemos centenas de shows até agora, e com o trabalho novo pretendo passar por todos esses lugares novamente e ir além, claro. Temos todo um trabalho de divugação na mídia pra ser feito ainda, rádio, TV, produção de mais material audiovisual (ao vivo, videoclipe, etc). 2019 vai ser quente! O “Voador” completo, será lançado nas plataformas digitais no dia 23/11, com distribuição da Sony e selo Novíssima Música Brasileira. Pra esse ano temos show de lançamento em Rio de Janeiro (Teatro Ipanema, 23/11), São Paulo (Noite SIM SP, 07/12) e Vitória/ES (Sesc Glória, 11/12). Já estamos ansiosos pra montar essa turnê voadora para 2019. Aceitamos convites!

Gosta de André Prando? Ansioso para o lançamento do Voador? Não deixe de comentar e seguir o MultimodoBR no Facebook, Twitter e Instagram e fique em dia com os principais lançamentos da música nacional.

Deixe seu comentário!

Compartilhe o MB!

shares
Inline
Inline