Discos lançados em fevereiro de 2019 que você deveria ouvir

Compartilhe o MB!

Terno Rei – Violeta

Com arranjos autênticos e detalhistas, o disco traz influências da melancolia e a sutileza do dream pop. Se aproximando à uma sonoridade mais acessível o trabalho referencia a música oitentista. retratando em suas letras de forma poética e sensível, temas recorrentes e conflituosos do cotidiano urbano e das relações contemporâneas. Violeta sintetiza o amadurecimento da banda, trazendo a sua melhor fase sem perder necessariamente sua essência. Terno Rei entrega um trabalho coeso, mostrando o quanto a banda está empenhada em se renovar a cada trabalho.

Pra quem curte: Dream Pop
Melhor Faixa: Dia Lindo

Leia Também:  MB Indica: Terno Rei - Violeta

Jards Macalé – Besta Fera

Trazendo a perspectiva do cantor da nebulosa e quase pós-apocalíptica cidade do Rio de Janeiro, Besta Fera carrega uma abordagem muito atual descrevendo o caos urbano, instalado nas cidades brasileiras e os tempos nebulosos que perduram no país. Construído a partir de uma bela fusão de sonoridades e com diversos caminhos e possibilidades, Besta Fera traz em evidência a genialidade de Macalé ao passear pelo extremo em uma abordagem que parece referenciar a própria discografia sem necessariamente soar datado ou antiquado, em uma obra irreverente e versátil.

Pra quem curte: MPB, Samba
Melhor Faixa: Limite

Leia Também:  MB Indica: Jards Macalé - Besta Fera

BaianaSystem – O Futuro Não Demora

O disco se apresenta através do conceito da água e do fogo e a dualidade que esses elementos representam. Com muita propriedade e força, a banda aborda questões da sociedade atual que vão dos recentes escândalos na política brasileira, até os conflitos territoriais. Em O Futuro Não Demora, a banda entrega a síntese de um autoconhecimento, se distanciando da atmosfera urbana apresentado no trabalho anterior, trazendo o equilíbrio entre o clássico e o contemporâneo, o ancestral e o futurista, a poesia e o som em uma rica experimentação de sonoridades.

Pra quem curte: Afrobeat
Melhor Faixa: Sonar

Leia Também:  MB Indica: BaianaSystem - O Futuro Não Demora

Adriana Calcanhotto – Nada Ficou No Lugar

Sempre inovando e revolucionar a própria carreira, a cantora Adriana Calcanhotto, lança o projeto Nada Ficou no Lugar, produzido por Andrea Franco e DJ Zé Pedro, Com 18 releituras de músicas marcantes de seus 30 anos de carreira, as canções foram interpretadas por jovens cantores da nova geração da música brasileira como Rubel, Mahmundi, Ava Rocha, DUDA BEAT, Baco Exu do Blues e Johnny Hooker, que trazem sua personalidade para cada faixa e que servem como uma porta de entrada para a nova geração conhecer e se aprofundar na obra da artista.

Pra quem curte: MPB
Melhor Faixa: Porque Você Faz Cinema?

Vitor Pirralho & U.N.I.D.A.D.E. – A Invenção é a Mãe das Necessidades

Terceiro álbum do alagoano Vitor Pirralho, traz sons e histórias que se cruzam e se complementam. Com 13 faixas autorais, o disco é recheado de referências como Homero, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Machado de Assis, fundidas com o rap singular do artista. Trazendo recortes da história do Brasil, o rapper percorre pelo descobrimento até chegar nos temas importantes do cotidiano, como a política recente brasileira e as relações pessoais contemporâneas. O álbum ainda conta com diversas participações especiais como Ney Matogrosso, Ellén Oléria e Zeca Baleiro.

Pra quem curte: Rap
Melhor Faixa: Rumos e Rumores

Grogues – Passar Mal

Em 2018, Filipe Alvim se propôs a montar uma banda e gravar um disco em apenas 30 dias. Juntamente com os outros integrantes Everton Surerus, Vini Fonseca, Márcio Reis e o paulista Leo Fazio, gravou o Passar Mal, disco cujo o título faz referência aos efeitos colaterais decorrentes do consumo excessivo de drogas e lanches em geral. Trazendo referências da carreira solo de Alvim, o disco soa despretensioso e deliciosamente pegajoso, com composições fáceis e sonoridades que traz influências do rock nacional e dos elementos da música oitentista.

Pra quem curte: Rock Alternativo
Melhor Faixa: Cêdiz

Acrílico – Limbo EP

Trazendo um instrumental intenso acompanhado por vocais etéreos, a banda Acrílico formada por Manoel Siqueira (voz e guitarra), Guilherme Tai (baixo), Lucas Santana (bateria), Renato Oliveira (sintetizador) e Pedro Mendes (guitarra) entrega em seu EP de estreia, composições reflexivas e intimistas, que traz como referências o dreampop e a música psicodélica. Com 5 faixas, Limbo aborda assuntos como a solidão, a vida, a saudade e o autoconhecimento, além de questionar os limites entre a realidade e a imaginação em sua sonoridade se mostrando também acessível.

Pra quem curte: Dream Pop
Melhor Faixa: Grão

Qual foi seu disco favorito de fevereiro? Comente abaixo, compartilhe e siga o MultimodoBR no Facebook, Twitter e Instagram e fique em dia com os principais lançamentos da música nacional.

Deixe seu comentário!

Compartilhe o MB!

shares
Inline
Inline