5 discos lançados em janeiro de 2018 que você deveria ouvir

Compartilhe o MB!

1. Alice Caymmi – Alice

Com participações de Rincon Sapiência e Pabllo Vittar, nomes de grande destaque em 2017, o álbum conta também com produtores como Rodrigo Gorky, Maffalda, e Ana Carolina. Muito mais pop que seus trabalho anteriores, Alice, explora outros ritmos como o trap e a música eletrônica. Em uma obra libertadora, Alice Caymmi aborda as desilusões amorosas, saudade e superação. Por fim, Caymmi, entrega em seu novo trabalho, uma interpretação segura e com personalidade, confirmando-a como um dos grandes nomes da música contemporânea brasileira.

Leia Também:  Alice Caymmi lança "Alice", seu terceiro disco

2. Astronauta Marinho – Perspecta

Perspecta é o segundo álbum da banda cearense Astronauta Marinho. O sucessor de Menino Sereia (2015), foi realizado por meio de financiamento coletivo e contou com a produção  da banda, em parceria com Régis Damasceno (Cidadão Instigado). Com um olhar mais introspectivo e inspirado nas experiências de cada integrante sobre a vida cotidiana e urbana, o novo disco explora em suas faixas sonoridades que remetem algo entre o post-rock e o jazz, embaladas também por synths, trazendo uma atmosfera intimista e, em alguns momentos enérgica.

3. Banda Fôrra – Trilha

Banda Fôrra, banda pernambucana traz em seu álbum de estreia uma fusão de sonoridades como a ritmos brasileiros, o rock psicodélico, e o pop. Produzido por Haley Arthur e pelo quinteto, formado por Ernani Sá, Gustavo Limeira, Matteo Ciacchi, Hugo Limeira e Lucas Benjamin, o sucessor do EP homônimo lançado em 2015, carrega o amadurecimento da banda tanto nas composições quanto nas melodias. Com 8 faixas, Trilha traz um hibridismo, tornando o trabalho original e totalmente desprendido de rótulos e estereótipos geográficos.

4. Irmão Victor – Cronópio?

Primeiro disco brasileiro lançado em 2018, Cronópio? é o terceiro trabalho do Irmão Victor, projeto musical do gaúcho Marco Benvegnù. Com o título se referindo ao termo criado pelo escritor argentino Julio Cortázar, para definir criaturas idealistas, sensíveis e ingênuas, o trabalho com 13 faixas cantadas em português, inglês, francês e italiano, traz composições mais maduros, acompanhadas pela sonoridade do rock psicodélico e com influências da música experimental. Com arranjos propositalmente desconexos, Cronopio? transporta o ouvinte a uma atmosfera fora da obviedade.

5. Rashid – Crise

O ano passado o rapper Rashid, dedicou-se em um projeto chamado Em Construção, onde divulgou 8 singles com um videoclipe cada, lançados um por mês e agora, compilado em um disco, o intitulado Crise. Com 10 faixas, o sucessor de A Coragem da Luz (um dos melhores discos de 2016, pelo MB), traz como referência em seu título, o atual momento socioeconômico brasileiro. Com diversas participações, Crise carrega composições viscerais, abordando os problemas enfrentados atualmente, não somente políticos, mas também interpessoais.

Leia Também:  Rashid antecipa álbum com o clipe de “Música de Guerra"

Deixe seu comentário!

Compartilhe o MB!

shares
Inline
Inline