Anelis Assumpção lança seu terceiro disco, “Taurina”

Compartilhe o MB!

Taurina - Anelis Assumpção
4.4
"Taurina é uma vaca. Uma mulher que rumina em quatro estômagos os anseios todos da vida. Os prazeres e belezas, as sensações, os cheiros, as lembranças e os desejos. E depois, regurgita para o mundo". O sucessor de Amigos Imaginários (2014), traz composições mais maduras e através de metáforas e versos abstratos, aborda diversos temas do universo feminino.

A cantora Anelis Assumpção, lançou na última sexta (16), seu terceiro disco. Com produção de Beto Villares e Zé Nigro, o disco conta com participações de Céu, Tulipa Ruiz, Liniker e os Caramelows, Ava Rocha, Rodrigo Campos e muitos outros. Os artistas colaboraram de diversas formas, desde os vocais, até com áudios, que serviram como interlúdios de uma faixa a outra.

As canções de Taurina, foram quase todas escritas na cozinha da cantora, o que pode levar a pensar que o título do disco tem apenas a relação de que pessoas do signo de touro têm fama de serem gulosas. Porém, apesar de algumas canções usarem analogias com comida, a cantora afirma que o título não leva em conta apenas a astrologia. “Taurina é uma vaca. Uma mulher que rumina em quatro estômagos os anseios todos da vida. Os prazeres e belezas, as sensações, os cheiros, as lembranças e os desejos. E depois, regurgita para o mundo”, conta.

Leia Também:  Mahmundi - Mahmundi

Em uma obra que se passa no universo feminino, o sucessor de Amigos Imaginários (2014), traz composições mais maduras e através de metáforas e versos abstratos, aborda diversos temas, como o instinto da mulher em Mergulho Interior (Animal/ O nome do meu instinto/ Lacrimal/ Mergulho interior). Além disso, a artista retrata também vários aspectos de um relacionamento, seja ele complicado, como na canção Chá de Jasmin (Foi mais fácil não viver aquele choro meu/ E sonhando o meu estar sozinha), ou até mesmo em desilusões como no samba Caroço (O sorriso saiu do meu rosto/Até o brilho do Sol ficou fosco).

Em Taurina, Anelis também evidencia a mulher, como na faixa Escalafobética, canção escrita em parceria com João Donato, onde a cantora usa de diversos neologismo como abelharaimente e docevocrata, para engrandecer o feminino. O disco também conta com algumas homenagens: a já divulgada, Receita Rápida, canção escrita pelo pai da cantora, Itamar Assumpção, porém nunca gravada por ele, e a canção Gosto Serena, onde nos versos ela canta a dor e a saudade pela irmã, Serena Assumpção falecida em 2016, aos 39 anos.

Leia Também:  Juliana Kehl - Lua Full

Concluindo, Anelis Assumpção traz em seu terceiro disco, a versatilidade apresentada desde seu primeiro álbum Sou suspeita, estou sujeita, não sou santa, de 2011, resgatando também sua sonoridade marcante que remete ao reggae e de elementos da música africana.

Deixe seu comentário!

Compartilhe o MB!

shares
Inline
Inline